Lesões na dança

Convivendo com a Doença de Sgood-Schlatter

Hoje meu foco principal é falar como eu tenho driblado mais este “probleminha”, dentre todos que passo diariamente, e que poderiam me impedir de dançar, mas como eu não me dou por vencida estou aqui para falar sobre a doença de Sgood Schlatter em minha carreira como bailarina.

A alguns anos atrás, em um dos ensaios rotineiros para o espetáculo de dança da minha escola sofri uma lesão, ou achava que era isso o que havia acontecido naquele dia. Inclusive se você ainda não viu fiz um vídeo para o meu canal falando sobre como essa lesão aconteceu.

Na semana em que ocorreu a lesão eu procurei um ortopedista, mas depois de passar por todos os exames ele falou que era só tomar um remédio e aplicar gelo no local da lesão.

Sgood-Schlatter
Foto feita após uma aula, no ano da lesão

Um ano havia se passado, mas eu continuava com muitas dores abaixo do joelho, e também com muita dificuldade na execução de alguns movimentos dentro das minhas aulas de ballet. Isso acabou impactando de maneira negativa no uso das sapatilhas de ponta, pois eu não me sentia confiante para calçar mais as minhas pontas, e isso para uma bailarina é muito frustante.

Resolvendo o problema da minha lesão

Então nas férias deste ano eu decidi aproveitar o período de descanso das minhas aulas para colocar todas minhas energias em: resolver meu pequeno probleminha com o joelho.

Quando comecei o processo de resultados de exames e procura de um médico especialista veio o período de quarentena. E foi neste momento que todos os meus esforços para resolução deste problema ficou meio devagar, até que dentre todas as consultas on-line eu consegui a aconsulta com um ortopedista que me esclaraceu todas as questões sobre a doença de Sgood Schlatter, que sinceramente eu não fazia ideia da existência, nem que eu poderia ter essa doença.

Mas sabe o que é interessante? Até que eu soubesse “o que tirarava a minha vontade de dançar”, eu não conseguia pensar em nada dentro da dança. Eu não conseguia particpar das aulas de ballet, eu nao conseguia fazer alongamentos, exercícios entre outras coisas. E nos dias de hoje eu já me sinto mais tranquila, consegui voltar as minhas atividades e até me arrisquei nas aulas de ponta, e muito em breve em breve começarei um acompanhamento com uma instrutora de pilates para melhorar minha performance na dança.

Tomando o controle

Este novo período da minha vida, onde eu estou tomando o “controle” de toda a situação com o meu corpo tem sido uma ótima experiência, porque ainda não falei aqui no blog, mas a pessoinha aqui está fazendo reeducação alimentar, e tudo isso durante a quarentena, acredite se quiser!

Por falar em reeducação alimentar, estou preparando um post recheado de dicas aqui no blog, pois é possível sim “se dar bem” com o seu corpo sem perder a cabeça na hora de comer.

Este tem sido apenas um resumo do que tenho passado durante a quarentena. Eu estou aprendendo a me conhecer melhor e me conhecendo melhor eu consigo aumentar as minhas expectativas diárias de vida.

E eu tenho muito a agradecer a Deus por me dar todos os dias forças para que eu não desista de tentar todos dias ser que eu sonho em ser um dia.

Deus nos abençoe e até semana que vem!

Um comentário

Deixe o seu comentário

%d blogueiros gostam disto: